quarta-feira, 27 de julho de 2011

De Gaulle tinha razão

O deputado italiano Mario Borghezio causou polêmica ao dizer que algumas das ideias do atirador norueguês Anders Behring Breivik são "boas" e outras são "ótimas". O militante de extrema-direita matou 76 pessoas na última sexta-feira, em um atentado a bomba contra a sede do governo da Noruega, em Oslo, e ao abrir fogo contra jovens do Partido Trabalhista (do governo) que se reuniam em um acampamento de verão na ilha de Utoya.

Temos aí algo que jamais aconteceria por aqui. O direito de alguém concordar com um atentado ocasionado por idéias de extrema direita. Aqui teve gente que morreu, aconteceram sequestros, teve gente com membro amputado, ou ficou com outras sequelas e coisa e tal em função de atentados da extrema esquerda e hj, os terroristas responsáveis pelos atentados estão no poder, inclusive na presidência da República.

É da democracia? Claro, tanto uma coisa quanto a outra. A diferença é que nos países onde a democracia é um assunto sério, existe direita e esquerda. Por aqui, isso é terminantemente proibido. Afinal este é um país torto, que atende a um pensamento único, que só tem um lado, onde até o representante máximo da elite dominante, o presidente da FIESP, se diz socialista. E fica por isso mesmo.

Decididamente não é um país sério, mas mta gente insiste que é.

Um comentário: