sexta-feira, 22 de maio de 2015

Genocídio estimulado que pode ser evitado

Impactado com a notícia ao acordar de que 28% do atendimento público de saúde no Brasil cuida apenas de motoboys, veio a pergunta básica dessas horas: de quem é a culpa? Fácil resposta: é nossa, de toda sociedade, mais ainda de quem vive nas cidades.

Antes que você diga “alto lá, eu não tenho nada a ver com isso” eu pergunto, quando foi a última vez que pediu comida pelo telefone, ou enviou/recebeu algum documento, qualquer ítem de pequeno porte usando o serviço de um motoboy? Pq tem que ser um entregador de moto? Pra ser mais rápido. OK, comida precisa chegar quentinha na maioria das vezes, mas quem não tem um microondas em casa pra recuperar a temperatura do alimento em 1minuto? Ou um forno tradicional para recuperar a crocância da pizza em 5min? Ah, você se nega a sujar sua cozinha e utensílios domésticos… então os motoboys que se matem para fazer a entrega em tempo mínimo.

Há cerca de uma década fui convidado para entrar como investidor de uma empresa de “BikeBoys”. Fazia o mesmo que os motoboys, mas não poluíam, agregavam saúde aos funcionários e os acidentes causavam lesões corporais pouco graves, recuperáveis em tempo inferior à necessidade de “encostar” sinistrados no sistema da previdência. Ou seja: o custo social era absurdamente inferior e tudo o que os usuários do sistema perdiam era, no máximo, 10minutos a mais nas entregas durante horário comercial. Usei os serviços dos bikeboys enquanto a empresa durou, já que a população se negou a esperar estes minutos a mais para ter em mãos os ítens que precisavam ser entregues. O resultado foi um total de 12.040 mortos em cima de motos(e embaixo de veículos maiores) no Brasil e uma despesa de 114 Milhões de Reais aos cofres públicos, no ano de 2013. Estão satisfeitos apressadinhos e estressados que vivem nas cidades? 

É assim que se dizima o futuro de um país. Gerando gastos desnecessários vultosos e aniquilando com uma geração de jovens que podia estar criando filhos para o bem, mas estão presos a uma cama, ou abaixo de 7 palmos de terra. 

Hoje existem ciclovias e mais educação no trânsito para conviver com as bicicletas. Um caldo de cultura melhor para favorecer o surgimento de novas iniciativas de tele-entregas que não utilizem esses motores absurdamente poluentes de motos(sabia que um motorzinho de 125cc dessas motos polui mais que o de uma de carreta ou ônibus?). Então, na próxima vez que fizer um pedido de tele-entrega  faça a si mesmo estas perguntas: 
  • qual a minha urgência na entrega?
  • posso aguardar uns minutos a mais?
  • qual o custo social do serviço(poluição x Saúde Pública x Previdência Pública)?

O cálculo sobre consumo/emissão de poluentes pode ser avaliado em http://vadebike.org/2006/10/moto-polui-mais-que-anibus/ 

Nenhum comentário:

Postar um comentário