terça-feira, 18 de agosto de 2015

Brasilia; Um Território de Possibilidades

    A política pública e partidária é um trabalho de longo prazo visando o poder central. Uma estrada longa para ser percorrida durante toda uma vida. Somente através da observação, através do tempo, o animal político entende quais são os entes com que terá de fazer alianças e como as relações com os outros humanos, que movem esses entes, definirá sua sustentação rumo ao poder. Quem hoje, no Brasil tem uma bagagem construída ao longo de toda uma trajetória, com portas abertas e trânsito em quase todas as repartições do poder constituído? Pode-se contar nos dedos.

    Em primeiro lugar, de forma inquestionável, José Sarney. Este, não só tem as portas abertas, como tem as chaves que as abrem e fecham. Não é a toa que Lula só se elegeu Presidente da República, após de 4 tentativas, quando se aliou ao imortal do Maranhão. Vemos aí, o segundo melhor ator político, que compreendeu os percursos por onde o labirinto do poder conduz a seu destino. O ex-sindicalista aproveitou como mestre o tempo livre que teve desde os tempos que ingressou para o sindicato dos metalúrgicos. Por isto chegou ao comando geral da nação e ainda é o agente político mais importante do agrupamento partidário que manda em Brasilia. Prova que, na semana passada, derrubou sozinho todas agendas do Planalto e chamou para si a total atenção das lideranças da República, em especial do PMDB de Sarney, ainda o partido mais influente do país. 

    Lula tinha como lugar-tenente, alguém que lhe dedicava uma fidelidade canina, segundo as próprias palavras de José Dirceu, mas numa jogada genial de Roberto Jefferson(outro matreiro que entende do jogo), foi ejetado do poder e do projeto de 20 anos no comando da nação e terminou na prisão. Ato continuo, Lula viu-se obrigado a nomear alguém que julgava ter o mesmo nível de fidelidade e pensou ter encontrado em Dilma este personagem. Ledo engano. Quando se faz de um poste o seu sucessor, pensa-se que vai seguir no comando, mas não funciona bem assim. Dilma tem personalidade e ideias próprias, tal como uma visão macro-econômica bem distinta. Com seus conceitos próprios arruinou o programa desenvolvimentista governamental, queimou os estoques super-avitários e liquidou o fluxo de caixa do governo. Como se não bastasse, rompeu a fidelidade segundo a qual deveria voltar pra casa, passados 4 anos, devolvendo a presidência ao mentor. Quando conseguiu a re-eleição, acreditou que tinha o mesmo tamanho de Lula e este foi seu segundo erro crasso, este imperdoável. Mal ela deu a entender que agiria de forma independente a partir disso e seu mundo caiu. Lula nem precisou puxar o tapete; a falta de talento político e administrativo da Presidenta conseguiram fazer isso praticamente sem ajuda de quem quer que seja. Some-se a isso uma oposição não partidária que tomou as ruas e redes sociais da nação e o isolamento chegou ao ápice.

    Então por quê Dilma ainda não caiu? Porque existe na Capital Federal, um outro animal político de rara estirpe, daqueles que trilhou longo caminho e aprendeu que as portas do percurso deveriam ficar sempre abertas. Para sorte da Presidenta, este outro personagem é seu vice, Michel Temer. Este, ao contrário de Dilma, em vez de ser aprendiz de Lula, é pupilo direto do grande e único guru incontestável do PMDB nacional e do Planalto... ele mesmo: José Sarney. Temer conseguiu reunir a avenida Paulista com uma mão e reorganizar a interlocução com o Congresso, com a outra mão. E o governo hoje está em suas mãos. Se Dilma renunciar, ou for impedida pela Congresso, o vice-Presidente já tem como governar. 

    Lembrando que o impeachment pode recair sobre a chapa Dilma-Temer, o que instalaria Eduardo Cunha no poder, por um período transitório, até que novas eleições fossem organizadas. Essas eleições seriam comandadas por Toffoli, no STE e sua maquininha Smartmatic venezuelana? E Lula, se não for preso pela Lava-Jato, seria batido por Aécio? Eduardo Cunha se licenciaria, entregando o poder transitório a Renan Calheiros, para poder concorrer a Presidente como candidato de um PMDB esfacelado?

    Possibilidades..! Geniais, conspiratórias, especulativas, mas possíveis possibilidades

Nenhum comentário:

Postar um comentário